22/11/2012

Fear Factory + Devin Townsend Project - Paradise Garage 19 Novembro 2012



O Paradise Garage encheu para uma noite de peso e intensidade com a presença dos tão aguardados Fear Factory e Devin Townsend Project. 

Apesar de ser uma segunda-feira, a casa estava já bem composta quando os noruegueses Dunderbeist subiram ao palco. Com pinturas nos olhos a simular máscaras com lágrimas pretas a escorrer pelo rosto, foram desfilando temas pesados e com boa recepção por parte do público. Apesar de não muito conhecida pelos presentes, revelou-se promissora, tanto pela reacção dos presentes que os ia acompanhando em alguns temas, como pela consistência musical. Com dois vocalistas e boa dinâmica, Dunderbeist, foi sem dúvida um bom aquecimento para os concertos que se seguiriam.

O muito aguardado Devin Townsend Project começou a sua apresentação ainda durante o check sound. No ecrã gigante que se erguia no palco começaram a passar imagens estranhas e sons associados, que os fãs da banda já tão bem conhecem. Entre elas encontra-se uma das figuras que se tornou emblemática e muito aclamada pelo público, Ziltoid. O humor das cenas que iam passando fez com que o espaço se enchesse de gargalhadas e boa disposição e foi igualmente com esse espírito que Devin entrou no palco.

A sua entrada, associado à sua figura influente e cativante, agarrou o público no primeiro instante. O concerto abriu com Supercrush!, e com a sua voz melodiosa e poderosa, associada aos riffs bem definidos e bateria dominante, Devin encheu o espaço e cativou imediatamente os presentes.

O intercâmbio entre a banda e os fãs foi constante, tanto que a determinada altura o canadiano, com o seu ar bem-disposto, pediu uma luva que um fã erguia à qual chamou de “Mickey Mouse glove”, de forma a usá-la durante a música. Como seria de esperar esta acabou por atrapalhar enquanto tocava e tentava calçar e ergar a luva no ar. Foi um momento de humor e isso é algo que não se pode desvincular deste magnífico projecto.

Tocaram quatro temas do seu projecto a solo, entre eles Planet Of The Apes e Juular e ainda Vampira, de Devin Townsend Band que Devin dedicou a uma fã na frente no palco, chamando-a de 'vampire princess'. A participação do público foi de tal forma constante e activa que influenciou a banda a alterar o último tema previsto no alinhamento, por Color Your World (em virtude do aclamar constante dos presentes pelo seu hand puppet, Ziltoid). Devin pediu então uma participação mais activa no tema Lucky Animals. No refrão todos teriam de fazer a coreografia apresentada, levantar os braços e abanar as mãos. Escusado será dizer que o público nem questionou e aderiu imediatamente. Se dúvidas houvessem desvaneceram-se nesse momento.

Color Your World declarou então o término do fantástico concerto, com grande ovação por parte do público. A sua voz, a sua música, originalidade e bom humor não deixaram ninguém indiferente e foram sem dúvida contagiantes. Quem esteve presente poderá certamente dizer que foi um concerto alucinante, poderoso e divertido.

SET LIST:
Supercrush!
Kingdom (Devin Townsend cover)
Truth (Devin Townsend cover)
Planet of The Apes
Where We Belong
War (
Devin Townsend cover)
Vampira (The Devin Townsend Band cover)
Lucky Animals
Juular
Grace
Color Your World (Devin Townsend cover)




Após um intervalo que para os fãs pareceu longo, tal era a ansiedade pela última banda da noite, foi a vez dos Fear Factory subirem ao palco. Abriram com Industrialist (do seu último álbum com o mesmo nome) e a plateia entrou imediatamente em erupção. Em segundos a parte central abriu-se numa clareira gigante empurrando os restantes para as zonas laterais, tal era a turbulência e moshes intensos.

O som estava altíssimo mas nem por isso ficou distorcido ou confuso, percebiam-se perfeitamente os riffs de Dino Cazares e as batidas enérgicas da bateria. Foram desfilando temas dos seus álbuns mais antigos, essencialmente de Obsolete (1998) e Digimortal (2001) e enquanto o faziam, a energia que emanava do palco era intensa e poderosa e eram poucos os que não se deixavam influenciar por ela. Apesar do vocalista Burton C. Bell ao terceiro tema já estar rouco, característica que segundo os fãs é comum de acontecer, esteve sempre a dar o seu máximo para um concerto que se provou ser de peso.



A banda que, conforme reforçado por Burton, fez no passado Halloween os seus 22 anos de existência, tem continuado a angariar fãs pelo mundo fora e continuam empenhados em continuar. Quando chegaram a meio do seu concerto de cerca de hora e meia, momento em que aparentemente o público começava a afrouxar nos moshes, tocaram o tema Martyr e com ele surgiu de novo a explosão na zona central da plateia. Era impossível não sentir a agitação e energia.
Foi entre aplausos, saltos e ovação geral que terminaram com Replica, tema este já com 17 anos. Apesar da cerca de hora e meia de concerto os fãs ficaram com desejo de mais.


SET LIST:
The Industrialist
Shock
Edgecrucher
Smasher/Devourer
Powershifter
Acres Of Skin
Linchpin
Resurrection
Recharger
Martyr
Scapegoat
Demanufacture
Self Bias Resistor
Zero Signal
Replica
 
Por: Miriam Mateus
Fotos: Nuno Santos (Mais fotos, aqui)

Veja também: