26 de agosto de 2016

Moonspell trabalham num novo EP, inspirados no Terramoto de Lisboa de 1755

A Spark TV, que faz parte de uma revista mensal checa, fez no passado dia 24 de Agosto 2016, uma entrevista com os portugueses Moonspell e a Spark  revelou que estes se preparam para uma nova edição, em formato EP.
Assim após a transcrição da entrevista e partilha pela BLABBERMOUTH.NET demos conta desta novidade e vamos traduzir o mais relevante da notícia pubicada, mostrando também o vídeo da referida entrevista, realizada pela Spark TV.



21 de agosto de 2016

[Report] VAGOS METAL FEST 2016 - segundo dia (com vídeos)


Dia 2 – 14 de Agosto 
Recuperados do primeiro dia, foi com alguma admiração que chegámos à zona dos concertos e nos deparámos com mais público que no dia anterior, pela mesma hora. É certo que a banda da terra, GODVLAD, que iniciou o segundo dia, terá alguma responsabilidade na boa afluência a meio da tarde, mas a verdade é que todo este dia se destaca por ter tido mais público e com maior amplitude nas faixas etárias, como tivemos oportunidade de verificar. E a propósito, não pudemos deixar de notar a presença de várias crianças, como já era habitual em anos anteriores, o que só augura futuro sorridente. Outro aspeto positivo deste segundo dia prende-se com a qualidade do som, significativamente melhor que no primeiro. 


19 de agosto de 2016

[Report] VAGOS METAL FEST 2016 - primeiro dia (com vídeos)


Felizmente, há coisas que não mudam. Continuamos a regressar de Vagos exaustos, empoeirados e satisfeitos porque vivemos mais um fim de semana inesquecível de boa música e bons momentos de convívio. A Quinta do Ega esteve à altura de receber os milhares de metaleiros que a visitaram, acolhendo todos com o excelente ambiente que a caracteriza, mesmo sendo este um ano de transição que inicia vida nova para este festival. Aqui fica o resumo possível do que queremos destacar deste primeiro Vagos Metal Fest, que já deixa saudades. 


Metallica com nova música e vídeo, anunciam álbum para Novembro

O anúncio do novo álbum dos Metallica apanhou totalmente de surpresa o meio musical e as interwebs. 
O impacto do efeito surpresa fez-se sentir, e o regresso dos Cavaleiros do Apocalipse, que se suspeitava apenas que poderiam ter álbum novo ainda em 2016, foi oficialmente confirmado. Hardwired…To Self-Destruct, é o novo trabalho, quase 9 anos depois do anterior Death Magnetic! Álbum duplo com cerca de 80 minutos de música, estará nas vossas mãos a 18 de Novembro...deste ano!


11 de agosto de 2016

[Report] VOA Heavy Rock Festival 2016

Naquela que já é uma tradição, a  Songs For The Deaf Radio marcou mais uma vez presença no festival de verão organizado pela Prime Artists, desta vez em Corroios com o nome VOA Heavy Rock Festival. Em ano de mudança, contestações, amores e ódios, não se admitiria erros e a organização mostrou-se à altura do desafio, mostrando que a experiência é também no seio da organização de eventos de metal uma enorme virtude. Mas centrando-nos no que realmente importa, a música, o primeiro dia, sexta-feira dia 5 de agosto, trazia a palco grupos de cinco países diferentes, cobrindo um vasto leque de géneros de metal. 


3 de agosto de 2016

Vagos Metal Fest com cartaz fechado! Sabe tudo aqui:

Vagos mantém a tradição e continua a ser local de paragem obrigatória no mapa dos festivais de Verão para os bons apreciadores de metal. Controvérsias à parte, o que interessa é que o primeiro Vagos Metal Fest instalou-se definitivamente e apresenta-se com um excelente cartaz, composto por nomes bem conhecidos do panorama metaleiro nacional e internacional. Dois dias, catorze bandas, a prometer deixar o público exausto, mas de coração cheio, envolto em boa música e bons momentos de convívio, como já é habitual na Quinta do Ega.


27 de julho de 2016

O VOA Heavy Rock Festival está a chegar! Tudo o que precisas saber aqui:

O ano de 2016 é um ano de mudanças no que toca aos festivais metálicos nacionais: o Vagos Open Air desceu à margem sul e transformou-se no VOA Fest, agendando dois dias de muito metal na Quinta da Marialva em Corroios.


VOA FEST está a chegar! Tudo o que precisas saber está aqui:

O ano de 2016 é um ano de mudanças no que toca aos festivais metálicos nacionais: o Vagos Open Air desceu à margem sul e transformou-se no VOA Fest, agendando dois dias de muito metal na Quinta da Marialva em Corroios.



19 de julho de 2016

29 de junho de 2016

VOA 2016 @ Paradise Lost Confirmados

Os Paradise Lost, ícones incontornáveis do metal melancólico, juntam-se ao cartaz do VOA 2016, que se realiza nos dias 5 e 6 de Agosto, na Quinta da Marialva, em Corroios.




A organização do VOA 2016 tem o enorme prazer de anunciar que os britânicos PARADISE LOST vão ocupar o lugar deixado vago pelos Anthrax no cartaz do evento. Após o cancelamento recente, por questões logísticas imprevistas, da atuação dos thrashers norte-americanos, cabe aos autores de clássicos como «Gothic», «Shades Of God» e «Draconian Times» completarem o alinhamento de luxo que vai passar pelo palco da Quinta Da Marialva, em Corroios, nos dias 5 e 6 de Agosto. O quinteto junta-se assim aos OPETH, KREATOR, ANATHEMA, ABBATH, KATATONIA, MANTAR, SCHAMMASCH, ADIMIRON, EQUALEFT, DARK OATH e SOLDIER, sendo que vai aproveitar esta ocasião muito especial para estrear pela primeira vez em Portugal o material do seu mais recente álbum de estúdio, o muito aplaudido «The Plague Within». Editado a 29 de Maio de 2015, o 14º longa-duração do grupo encabeçado por Nick Holmes e Gregor Mackintosh, afirmou-se como uma declaração de intenções sem precedentes na sua já longa e influente jornada, recuperando de uma forma muitíssimo inteligente a atitude obscura e monolítica que os caracterizava nos inícios e que, com o passar das décadas, foi-se diluindo em doses massivas de experimentalismo. Hoje, ao olhar para trás, percebe-se que a opção de alargarem o seu raio de ação lhes permitiu crescerem e, numa altura em que já são vistos como veteranos do movimento underground, lidarem sem medos ou preconceitos com o seu passado brilhante.

Com uma carreira que remonta a 1988, o percurso dos PARADISE LOST tem sido uma montanha-russa de emoções, pautada pela vontade incessante de inovarem e de não se repetirem. A forma como foram reinventando a sua sonoridade ao longo dos tempos e a atitude “sem palas nos olhos” que os viu atirarem-se de cabeça a uma costela experimental que ninguém sabia estar dentro deles, permitiu-lhes manterem-se relevantes face a todas as modas e tendências fugazes que apareceram no universo da música de peso – para depois desapareceram sem deixar rasto – desde que Holmes, Mackintosh e companhia se juntaram em Halifax, no Reino Unido, para fazerem a música mais opressiva, melancólica e introspetiva ao seu alcance. Assumido o risco que foi darem o salto a nível criativo, agarram-se à sua identidade e fizeram chegar o barco a bom porto, assinado uma sequência de discos incontornáveis entre os quais se contam vários clássicos, sem compromissos e com uma vitalidade que só está reservada para os grandes músicos. Bem vistas as coisas, não há muitos grupos que tenham sido tão influentes no início da carreira e que, apesar da vontade de irem fazendo coisas revolucionárias, tenham conseguido manter um nível de qualidade e relevância tão elevado ao longo mais de duas décadas.

Catorze álbuns e mais de vinte anos depois de terem mudado para sempre a cara do heavy metal, já não adianta sequer tentar traçar comparações. Os PARADISE LOST são caso raro, é certo, mas também não se tratam de uma banda qualquer. Porque não o são, não são como os outros – e têm um catálogo para prová-lo. Neste caso muito especial só se pode, e deve, compará-los com eles próprios. Senhores de uma personalidade muito própria e de uma capacidade aparentemente infindável de se recriarem, ao longo dos anos deram origem uma série de tendências – a fusão death/doom, o metal gótico e, por fim, o rock gótico pesadão com elementos eletrónicos e refrões a roçar a pop. Hoje, não há mesmo como negá-lo, são um nome incontornável dentro do estilo em que se movem e, também, um dos mais bem sucedidos a nível comercial – são já uns impressionantes dois milhões de discos vendidos a nível mundial. Sabe-se, no entanto, que uma banda só é tão boa quanto o seu último álbum e, até aí, os músicos britânicos sempre se destacaram da competição. «The Plague Within», editado há dois anos, é uma prova irrefutável de que continuam a fazer música tão vital e desafiadora como quando lançaram o disco de estreia, afirmando-se como o culminar de um processo de “redescoberta do passado” que começou há mais de uma década e que lhes permitiu fazerem, por fim, o álbum com que muitos fãs já andavam a sonhar desde meio da década de 90.
Os bilhetes custam 50 euros (passe dois dias) e 35 euros (bilhete diário), à venda nos locais habituais:

LOCAIS DE VENDA

TICKETLINE
CTT
TICKETMASTER (Espanha)
MASQUETICKET (Espanha)
FNAC
UNKIND (Online Store)
CARBONO Amadora
GLAM-O-RAMA Rock Shop
   
LINKS

WEBSITE OFICIAL
FACEBOOK