09/06/2015

[Report] Tales For The Unspoken | Apresentação álbum CO2 no Montijo, com Hate in Flesh

No passado sábado, 6 de junho, o Bota’Baixo, no Montijo, recebeu os Tales for the Unspoken, de Coimbra, acompanhados pelos luso-brasileiros Hate in Flesh.

Com uma temperatura exterior a fazer lembrar as noites quentes de Verão, o pequeno, mas muito agradável, Bota’Baixo não teve mãos a medir com casa e esplanada cheias, e portou-se à altura do acontecimento, recebendo com grande simpatia todos os que quiseram estar presentes.

Foi, portanto, em ambiente bem aquecido que os Hate in Flesh iniciaram a sua atuação. A banda de deathcore/melodic, com elementos portugueses e brasileiros, conta já com um álbum, Wandering Through Despair, editado em 2011, e prepara-se para lançar brevemente o EP The Human Curse, do qual ouvimos alguns temas.

Sendo pequeno, o espaço do Bota’Baixo implica, forçosamente, a proximidade com o público e a comunicação constante com ele. O vocalista Maiko Ramos não se fez rogado e manteve a interação com os presentes, entre os temas que interpretou com grande entrega e guturais poderosos. O nosso ouvido foi sensível à guitarra de Paulo Oliveira, responsável por excelentes momentos melódicos, que sobressaíram (e bem) do conjunto de som devastador que a banda ofereceu. E destacamos ainda os temas novos, The Human Curse (The Plague II) e Dementia Lives in Me, muito fortes, a fazer ansiar pelo lançamento do novo EP. O último tema apresentado, Your Eyes Show the Lies, com a  participação de uma voz convidada, a de Dani Cross, encerrou a atuação com chave de ouro. 

Tales for the Unspoken  (thrash/groove metal) fizeram um concerto que nos surpreendeu pela positiva, ao apresentarem, entre outros, temas do novíssimo CO2, o seu segundo trabalho de longa duração, que conhecíamos apenas em registo áudio, e que, quanto a nós, ganha muito com ainterpretação ao vivo. A banda revelou grande coesão desde o início e foi ganhando força ao longo da atuação, insistindo sempre na interação constante com o público, composto, também, por admiradores e amigos.

Gostámos particularmente de Soul for a Soul e Say my Name, temas de uma setlist que não se ficou pelo CO2 e que nos brindou também com músicas do primeiro álbum, Alchemy (2011), do qual também saiu a faixa Just Another War, responsável por um dos grandes momentos da noite. 

A casa cheia do Bota’Baixo tremeu sob o domínio do vocalista Marco Fresco, cuja voz nos pareceu mais solta e mais forte, a confirmar que o registo áudio, apesar de apreciado por nós, não lhe faz justiça.

Quanto ao público, esse, completamente rendido, não deixou terminar o concerto após N’Takuba Weba, pelo que a banda regressou ainda com Possessed, do primeiro álbum. Foi a devastação total, a confirmar o conteúdo da entrevista feita pela SFTD, no início de junho, e na qual os elementos da banda avisaram que, neste concerto, poderíamos contar com entrega total e grande interação com o público. Missão (muito bem) cumprida, no Montijo. 


Siga para o Hell in Sintra, próxima paragem, no dia 4 de julho.

Texto: Sónia Sanches
Fotos: António Gaspar (todas as fotos no nosso facebook)


No passado sábado, 6 de junho, o Bota Baixo , no Montijo, recebeu os Tales For The Unspoken, de Coimbra, acompanhados...
Posted by SFTD Radio - Made in Portugal on Terça-feira, 9 de Junho de 2015

Veja também: