30/10/2013

[Roteiro] HALLOWEEN 2013 - Gostosura ou Travessura?

O Halloween é um evento tradicional e cultural que ocorre basicamente em países de língua inglesa, com origem nas celebrações ao culto dos mortos do Povo Celta.

O festejo desta data em Portugal é relativamente recente, mas cada vez mais aparecem eventos alusivos ao tema... porque nós gostamos mesmo mais é da parte da "travessura", certo????

Na noite de dia 31 de Outubro, em Lisboa, mais propriamente no Teatro Ibérico, os Opus Diabolicumapresentam o seu espectáculo intitulado de "Halloween '13". A acompanhar o som dos seus violoncelos estão as Crystal Mountain Singers e as percussões a cargo dos Bomb'Arte. Para completar, podemos assistir à dança do ventre gótica das Ignis Fatuus Luna
Este evento conta também com uma Mostra de 2 Curta-Metragens: "I'll See You In My Dreams" de Filipe Melo e "O Coveiro" de André Gil Mata, esta última eleita como a Melhor Curta do MOTELx 2013
A noite por estas bandas termina em alta com um After Show cheio de música e boa disposição. Os bilhetes custam 7€ antecipadamente e 10€ no próprio dia e o início prevê-se às 21h30. LINK EVENTO

Para quem gosta da "moda" dos Zombies, e quiser aderir a uma Zombie Walk nesta noite de dia 31 de Outubro, tem duas opções: Lisboa ou Alvor.
Organizada pela 1 Up Gaming Lounge, esta 5ª Edição da Zombie Walk em Lisboa vai ter como tema "Pop-Culture & Videogames Zombies". O desfile está marcado para as 19 horas com ponto de encontro na Praça do Município. 

Depois todos os caminhos vão dar à After Party no 1 Up Gaming Lounge, na Ramada/Odivelas. Tanto a Zombie Walk como a After Party têm entrada gratuita e o melhor zombie tem direito a prémio.  LINK EVENTO

Se morares mais a Sul do país, então o melhor é dirigires-te à Halloween Zombie Walk em Alvor/Portimão. A inscrição para esta caminhada é gratuita e inicia por volta das 21h na Zona Ribeirinha de Alvor, uma iniciativa da Algarve PromotionsLINK EVENTO
Na Margem Sul/Almada, o Cine-Incrivel preparou duas noites com a temática Halloween, integradas no CORTA! Festival de Artes e Cinema.A 31 de Outubro, sobem ao palco os Noidz, com o Warm-Up a cargo da DJoana e a After Party pelas mãos do Nuno Calado. A entrada é 5€ e as portas abrem às 22h. LINK EVENTO
No dia seguinte, 01 de Novembro, é a vez dos RAMP animarem a noite, com início por volta das 23 horas. As Dirty Sessions by M.B. encerram a noite, com a entrada a valer 10€. LINK EVENTO

Também no dia 01 de Novembro, no Teatro Dom Luiz Filipe, em Lisboa, também é noite de terror. Num espaço decorado a preceito, espera-se a entrada de pessoas vestidas a rigor para bailarem aos sons Folk dos Omiri. Além de um concurso de máscara pode-se esperar mais surpresas durante a noite, que será animada também pelo DJ Osga
A entrada para a festa terá um custo de 10€ com direito a bebida. Apareçam a partir das 22h30! LINK EVENTO

Ainda no dia 1, e com entrada gratuita, nos Nirvana Studios em Barcarena, terá lugar a Halloween Party 3- RockOn Strikes Again, com Dead Karaoke, duplas de DJ's e prémios para os melhores mascarados. LINK EVENTO


E porque o Halloween é quando um Homem quiser... às 22h de sábado 02 de Novembro, ainda se festeja o Halloween em Lisboa.
O FreakShow é no Santiago Alquimista (entrada a custar 8€) com a participação dos The Girl In The Black Bikini e dos Ena Pá 2000, rodeados de vários convidados, entre eles, Rui Sidónio dos Bizarra Locomotiva.
Em paralelo festeja-se também o aniversário de Manuel João Vieira e faz-se a devida homenagem a Lou Reed (que nos deixou recentemente).
Com organização da Void Creations, o dress code é Monster Freak, e tem direito a prémio a máscara mais original. LINK EVENTO

A sério... preferes doces a estas travessuras todas????

28/10/2013

Passatempo Orphaned Land: ganha 'Meet & Greet' com a banda


Para assinalar o regresso dos Orphaned Land a Portugal, a SFTD Radio em parceria com a 13th Nights Events & Promotion tem para atribuir  5 Meet & Greets com a banda israelita, para os concertos de 31 de Outubro (no Porto) e 1 de Novembro (em Lisboa), aos autores das melhores respostas à seguinte pergunta:
  • O que é para ti o “All Is One” ?
Para participar só tens que:
  1. Fazer ‘Gosto’ nesta nota (e na nossa página, se por algum lamentável lapso ainda não o fizeram)
  2. Enviar mail para songsforthedeaf@sapo.pt  com a resposta, dados pessoais (nome, localidade, data de nascimento, email e nº de telemóvel) e digitalização do bilhete para o espectáculo (o meet & greet será no concerto do bilhete)
Aceitaremos respostas até às 22:00h do dia 29 de Outubro. As mesmas serão enviadas para a 13th Night (organizadora dos concertos) que escolherá as que considere de maior valor. Os vencedores serão contactados telefónicamente para acertar os detalhes do 'Meet and Greet'.

Se ainda não compraram o bilhete aproveitem antes que esgote, até porque estão a preço promocional até à véspera dos concertos, apenas 15 Eur ( 17 Eur no próprio dia ).
Saibam onde podem comprar e tudo sobre os concertos aqui:

Organização - 13th Nights : http://www.facebook.com/13thNightEvents
Evento - 31 de Outubro (Porto) : https://www.facebook.com/events/500796996642041
             1 de Novembro (Lisboa) https://www.facebook.com/events/615411068469514

Sabe mais:
Os ORPHANED LAND caracterizam-se pela Mestria em fundir estilos musicais tão distintos como o Death Metal Melódico, e o Rock Progressivo às sonoridades provenientes do Médio Oriente.
Destacam-se, não somente por terem sido Pioneiros há mais de 20 anos do que veio a chamar-se de "Oriental Metal", mas também pelas suas musicas de caracter Ideológico.

Os Orphaned Land procuram passar a mensagem de possibilidade de Paz e Harmonia entre Povos. Nas palavras de Kobi Farhi, vocalista e mentor da banda: - " Muçulmanos, Cristãos e Judeus, acreditam todos no mesmo Deus, como podemos ainda andar-nos a matar?
 Como banda cremos na unificação de tudo, "All is one" (todos/tudo é apenas um).

"All is One" é o nome do seu mais recente trabalho, que mais uma vez tem a chancela da CENTURY MEDIA e 3 anos depois, regressam a Portugal.

A 31 de Outubro pela primeira vez no Porto, na Sala 2 do Hard Club.
A 1 de Novembro ao Palco do Santiago Alquimista, em Lisboa.

Os bilhetes para ambos os locais custam 15 Euros antecipadamente, e 17 Euros no proprio dia! E estão disponíveis nos Locais Habituais (Toda a Rede Ticketline, Fnacs, Worten, etc.)

15/10/2013

[Report] God is An Astronaut + Quelle Dead Gazelle @ TMN ao Vivo, 09/10/2013


Numa típica noite de Primavera que abafa as noites de Outono, já se encontravam pessoas na brisa do Rio Tejo, à espera que as portas do TMN ao Vivo abrissem.

Com uma sala cheia, eis então que começa o dueto português Quelle Dead Gazelle. Com a guitarra de Pedro Ferreira e a bateria de Miguel Abelaria, o público salta de entusiasmo acompanhado por uma onda de palmas, que sente o rock com influências de Jazz criado por este dueto promissor.

Embora fossem apenas dois elementos em palco, não se deixaram intimidar e mostraram que havia uma razão para estarem a pisar aquele palco. Sem dúvida surpreenderam quem não conhecia a banda, e conseguiram deixar entre os demais, uma enorme vontade de os voltar a ver.

Após um breve intervalo que serviu para meter a conversa em dia, a beira do Rio Tejo encontrava-se novamente vazia, e o TMN ao Vivo cheio, à espera que os últimos minutos de intervalo acabassem.

Os irlandeses God is An Astronaut apoderam-se então do palco, e a espera da plateia acaba com as primeiras notas de Weightless. Com palavras proferidas em português, Torsten Kinsella (guitarra e voz) deseja ao público uma boa noite e apresenta o tema seguinte, Transmissions do novo albúm “Origins”.
Ao longo do concerto, pudemos presenciar um público movimentado, braços voavam pelos nossos olhos e cabeças distorciam-se com o seu rápido movimento. 
Os corpos libertaram-se. Músicas como Signal Rays, Fire Flies and Empty Skies e Suicide by Star fizeram com que as palmas abafassem o som dos instrumentos. Fragile e The Last March foram também músicas que causaram grande impacto no público, e tímidas lágrimas conseguiram ser presenciadas.


Toda a banda preocupou-se em ter uma boa interacção com a plateia, e Gazz Carr (guitarra) fez questão de nos avisar num tom engraçado que andavam a treinar todas as línguas dos países por onde passavam, mas que o português era difícil para eles. 

Red Moon Lagoon, Suicide by Star e Route 666 finalizaram um concerto coeso, gracioso e brutal que enlouqueceu e emocionou toda a plateia. Uma setlist rica, em que revivemos temas dos álbuns anteriores, e apreciamos temas do novo álbum. 


Sentimentos variados foram partilhados naquela noite de Outono mentiroso, mas o que mais podiamos presenciar era felicidade. Os sorrisos eram constantes e os olhos fechados faziam acreditar que a música estava a ser sentida. Só me resta dizer que foi um concerto que deixou as pessoas de barriga cheia, e com a expectativa de que aquela noite nunca mais acabasse. 



Texto: Mariana Pisa 
Fotos, Vídeos e Setlist.fm: Nuno Santos

Resta-nos dar os parabéns à organização (Turbina) pela boa música que nos proporcionou e pelo sucesso desta noite.


Todas as fotos brevemente na página no Facebook



08/10/2013

[Report] RAMP+Veinless @ Comemoração do 5º aniversário do Side B, 28/09/2013

Dia de aniversário do Side B e ao chegar já se notava mais agitação do que é normal. Para "cantar os parabéns" a uma das casas que mais exaltam o metal e as bandas portuguesas apresentava-se um cartaz de excelência. R.A.M.P. como banda de cabeça de cartaz e de referência do metal português, tanto pela qualidade como pela longevidade e resistência.  Para o começo da noite contava-se com Speedemon e Veinless, duas bandas nacionais que têm mostrado muita garra e cativado o público pela qualidade da sua sonoridade. Três bandas de peso para uma festa de peso e muita festividade. Para terminar a noite o público foi presenteado pela presença de António Freitas como DJ.

A banda de abertura, os Speedemon, por motivos de força maior infelizmente não puderam abrir a noite, ficando os Veinless com essa responsabilidade. A banda justificou a sua ausência com um comunicado publicado no próprio dia na página do facebook do SideB o qual se transcreve: "A banda de abertura, os Speedemon. viram-se forçados a cancelar o concerto desta noite, derivado a um grave problema de saúde por parte de um dos elementos. Não haverá banda de substituição, cabe aos Veinless um set de 50 min."

Os Veinless, próximos de também eles comemorarem o seu décimo aniversário, arrancaram com toda a força e aqueceram o público presente. Uma actuação já conhecida pela energia e relacionamento com o público. Com o primeiro tema Wake Up captaram as atenções dos mais distraídos e prenderam a atenção da sala que se prolongou até ao final. A cover dos Heróis do Mar, Saudade, e o tema Outra Vez acabaram a actuação da banda que, nitidamente, celebrava aquela noite, não fosse o palco do Side B já um amigo por excelência.

Set List:
1. Wake Up
2. Johnny The Real
3. Drunk Nightmare
4. Phobia
5. Enchanted Kisses
6. Liberty
7. Land of Dust
8. Saudade
9. Outra Vez

Veinless:
António Boieiro - Voz
Kronos - Guitarra
Roger - Guitarra
Thrash - Bateria
Eddie - Baixo


R.A.M.P. Não se fizeram esperar muito. Descarregaram com Blind Enchantement e a electricidade e peso foi total até ao final. How, Single Lines, Follow You, All Men Taste Hell, Anjo da Guarda, Thoughts e Black Tie foram definitivamente temas que ninguém cantou sozinho. A sincronia foi perfeita e o convívio e celebração também. Tanto a banda como o público estavam em perfeita simbiose o que comprova o carinho e apreço existente entre ambos. R.A.M.P. apresentaram-se em palco (na totalidade da banda) a um nível de excelência que já os caracteriza e domina, não fosse a antiguidade um posto.
Com a sua saida de palco o público não acalmou e pediu mais. A banda deu mais, fez um encore com a cover do tema Walk Like an Egiptian, das Bangles, já muito conhecido do público, e Try Again. Depois disso Rui Duarte deixou bem claro que a noite não acabaria ali e que a banda fazia questão de celebrar junto de todos aquela noite e congratular o Carlos Freitas pela sua coragem e persistência em manter uma casa de referência ao metal fora de Lisboa e que apoia e divulga as bandas nacionais e a música nacional.

Set List:
1. Blind Enchantemen
2. Insane
3. How
4. Single Lines
5. Dawn
6. The Cold
7. Clear
8. Follow You
9. Alone
10. Hallelujah
11. Anjo da Guarda
12. All Men Taste Hell
13. Thoughts
14. Black Tie
15. Through
Encore
16. Walk Like an Egyptian (cover Bangles)
17. Try Again

R.A.M.P.
Ricardo - Guitarra
Paulo - Bateria
Rui - Voz
Sales - Baixo
Pica - Guitarra

Terminados os concertos António Freitas alinhou o som do resto da noite. Abriu com Master of Puppets (Metallica) e muitos mais se seguiram, passando por Cowboys from Hell (Pantera) e muitos mais temas de Ozzy Osbourne, Iron Maiden, Slayer, Megadeth. Uma noite em grande para uma grande festa. Uma mão cheia de anos com a casa cheia de amantes da música e do metal para o SideB.

Texto: Liliana Dias
Fotos: António Gaspar (cliquem aqui para ver todas as fotos na página SFTD Made in Portugal)


07/10/2013

[Report] Process of Guilt + The Quartet of Woah + A Tree of Signs @SideB - Comemoração quinto aniversário, dia 27/10/2013



Sob o signo de comemoração dos cinco anos de Side B a passada sexta-feira 27 pautou pela diversidade. Três bandas com sonoridades diferentes partilharam em perfeita coexistência o palco de uma casa que prima e insiste na música ao vivo fora de mainstream e fora de Lisboa.
Com  casa composta A Tree of Signs abriram a noite com sonoridade típica que os caracteriza - Alchemy Doom Rock - com formação renovada a banda apresentou melhorias e diferenças sonoras fortes que agradaram e cativaram bastante o público presente.

Set List:
1. Saturn
2. Place In Space
3.Great Phyton
4. Red Lune, Sol and Sea
5. Red Lune II
6. Book of Silence
7. Of The Division Of Chaos
A Tree of Signs:
Diana Silveira - Voz
Alexandre NH Mota - Baixo
P. Tosher- Bateria
Ricardo Remédio - Teclas

The Quarter of Woah seguiu pouco depois não deixando esmorecer o público presente. Começaram com Taste of Hate e não pararam de carregar a sala de som até ao final. Com o albúm Ultrabomb lançado em novembro de 2012,  já foram considerados pela critica a revelação rock em termos nacionais tendo participado este ano no SBSR e na Festa do Avante. Têm captado a atenção do público e da critica nacional e internacional, tendo já actuado em Londres onde o saldo foi muito positivo.
Mostraram a sua força e nem sequer o percalço na música Slingshot Sam (a corda da guitarra do Gonçalo) os fez abrandar. Revelando um profissionalismo e desembaraço em palco digno de nota.
Não aqueceram mas subiram a temperatura e a satisfação do público presente não desiludindo quem já os conhecia e conquistando quem os via pela primeira vez. 
Terminaram, com vozes a pedirem mais, com U Turn, tema do video clip lançado pela banda em março deste ano e o qual tem tido mais projeção nos média.

Set List:
1. Taste of Hate
2. Announcer
3. Slingshot Sam
4. Empty Stream
5. Balance
6. Ode to Liberty
7. Path of Our Commitment
8. U Turn
The Quartet of Woah
Gonçalo Kotowicz - voz, guitara
Rui Guerra - voz, teclas
Miguel Costa - voz, bateria
André Gonçalves - voz, baixo

Na penumbra que os caracteriza eis que Process of Guilt sobem e terminam uma noite que se revelou de excelente qualidade, apesar das diferenças de sonoridade e ambiente. A ligação foi imediata e a banda foi acompanhada pelo público com a atenção e entusiasmo do ínicio ao fim. Presentearam maioritariamente com temas do novo albúm lançado em maio deste ano - Faemin. Lava do álbum Erosions foi o único tema de excepção.

Set List
1. Empire
2. Blindfold
3. Lava
4. Harvest
5. Cleanse
6. Faemin

Process of Guilt
Custódio Rato - Baixo
Gonçalo Correia - Bateria
Nuno David - Guitarra
Hugo Santos - Voz, Guitarra

Texto: Liliana Dias
Fotos: António Gaspar (todas as fotos na página da SFTD Made in Portugal)

02/10/2013

[Report] Theriomorphic + Hatesphere + Hypocrisy @ Paradise Garage, 29/09/2013


Nem mesmo a chuva impediu os muitos fãs de falharem o concerto dos suecos Hypocrisy, ontem no Paradise Garage. A banda regressou ao nosso país com duas datas (dia 29 em Lisboa e dia 30 no Porto) para apresentar o seu mais recente registo, "End of Disclosure" lançado a 22 de Março deste ano, pela Nuclear Blast.
Com as portas a abrirem mais tarde do que o suposto, o concerto iniciou-se rapidamente e da melhor maneira. Os lisboetas Theriomorphic foram encarregues de aquecer o público, cumprindo sem falhas a sua missão. Com uma presença de palco impecável acrescentando uma boa cumplicidade entre os músicos e parte da audiência (muitos de certo que não conheciam a banda até ao momento), os Theriomorphic tocaram temas tanto do seu primeiro álbum, "Enter the Theriomorphic" de 2005, e do seu segundo, "The Beast Brigade" de 2008, apresentando ainda um novo tema que decerto deixou os fãs presentes ansiosos por mais um álbum. No final do concerto, vocalista e baixista da banda, gracejando, agradeceu ainda aos que tinham entrado mais cedo no recinto para os ver.

Acaba a primeira parte, e segue-se a pequena pausa entre bandas, comenta-se o concerto de Theriomorphic…Desta vez, o público é tomado de assalto pelos dinamarqueses Hatesphere com a combinação letal de thrash e death metal. Que dizer do concerto? Foi graças à banda de Peter Hansen que se começou a gerar, “à séria”, os primeiros circle pits da noite, no entanto estes não aguentavam muito tempo e acabavam ou com saltos ou com o tradicional headbanging. Pormenores desnecessários à parte, os Hatesphere tiveram sempre grande atitude em palco, mas é impossível não destacar Esben Hansen, com uma voz poderosa e uma postura de louvar.

Penso que dificilmente houve alguém que não se sentisse contagiado pela energia emitida pela atuação do grupo. Já a setlist contou com os temas obrigatórios “Hate”, “Sickness Within” bem como “Forever War”, e como não poderia deixar de ser a banda tocou ainda alguns temas do novo álbum "Muderlust", lançado há 3 dias pela Massacre Records. Foi uma atuação sólida e que, provavelmente devido ao habitual e curto tempo dado às bandas de abertura, os Hatesphere souberam a pouco e qualquer dos presentes teria aceite de bom agrado mais uns minutos.
Chega então a tão aguardada hora. É a vez dos Hypocrisy subirem ao palco. Apagam-se as luzes e começa a soar a intro, vêm-se as mãos no ar e ouvem-se os assobios e os chamamentos dos fãs. Entram então Tomas Elofsson, Mikael Hedlund  e Horgh dando inicio ao esperado concerto.  
Peter Tägtgren é o último a entrar, entoa então as letras de "End of Disclosure", faixa-título do novo registo. Segue-se "Tales of Thy Spineless", com a audiência a entregar-se a uma performance excelente por parte dos veteranos suecos, que podem estar mais velhos, e, nas palavras de Tägtgren, menos bonitos, não mostram qualquer sinal de cansaço ou abrandamento. 
A noite continua e Peter, sempre alegre e conversador a agradecer aos fãs portugueses por uma receção tão maravilhosa, anuncia então "Valley of the Damned", seguida pelos clássicos "Necronomicon", "Buried", "Elastic Inverted Visions" e "War Path". A banda despede-se e retira-se dando pouco menos de uma hora de concerto. A audiência reage alarmada, mas rapidamente ganha esperança e, penso, novas forças para mais uns temas. 

Para o encore, foram guardadas "Roswel 47", ou como foi cantada Lisbon 47, "Adjusting the Sun", "Eraser" e como não poderia deixar de ser, "The Final Chapter". Aspectos negativos? Talvês a curta duração do concerto (pouco mais de uma hora), e claro faltou "Penetralia" na setlist. Mas depois de um concerto com a magnitude do de ontem, os poucos aspectos negativos rapidamente desaparecem e dão lugar na memória de todos os que compareceram no regresso dos Hypocrisy aos palcos nacionais, numa excelente noite em que tanto a música como a companhia superaram a maioria das expetativas.


Setlist de Hypocrisy, Paradise Garage – 29.09.2013
Tales of Thy Spineless
Fractured Millennium
Left to Rot
The Eye
The Abyss
Valley of the Damned
Fire in the Sky
Necronomicon
Buried
Elastic Inverted Visions
War-Path 
Encore:
The Gathering
Roswell 47
Adjusting the Sun
Eraser
The Final Chapter

Texto: Marta Louro
Fotos: Joana Mendonça (mais fotos na páginas do FB da SFTD Radio e de Joana Mendonça Photography)
Vídeos: cortesia do Rui Paulo (Nekronos Promotion Hell)











[Report] Breed 77 + W.A.K.O. + The Temple @ República da Música 27/09/2013 (com vídeos)

Numa noite em que o Boletim Meteorológico nos prometeu chuva, as portas da República da Música teimavam em não abrir... e só por volta das 22h15 é que finalmente abriram. Muito tarde tendo em conta que o início dos concertos tinha hora marcada para as 22h30.

Veja também: