16/04/2012

Moonspell : Friday, the 13th – A feast among Wolves

 Os Moonspell apresentaram o seu novo trabalho Alpha Noir a um pequeno grupo de felizardos, vencedores de um passatempo. A Fernanda Henriques contou-nos como foi passar a tarde de Sexta-Feira 13 com a banda :


O mote foi um concurso da FNAC, em parceria com os Moonspell.
A ideia era enviar uma fotografia subordinada ao tema “Alpha Noir / Omega White”, do nosso ponto de vista. Caso a mesma fotografia fosse escolhida, o prémio era ouvir em primeira mão os “álbuns gémeos” cerca de 15 dias antes do lançamento. Eu tive essa sorte.

A Songs For The Deaf Radio pediu-me para escrever umas palavras sobre aquela fantástica tarde. Wolves gathering !
Aqui estão elas... Meet & Greet? Não! MEAT AND GREAT!

Foi uma festa entre Lobos amigáveis, “a uivar desde 1989”. Sim, porque ainda sou do tempo dos Morbid God, e mais coisa menos coisa, os Moonspell com esta nomenclatura já fazem 20 anos em Setembro.

O que posso dizer é que foi uma tarde muito bem passada com pessoas fabulosas, entre as “estrelas” e a “audiência”, tanto que não se sentiu minimamente esta diferença. Fomos todos lobos da mesma alcateia, desde o “segundo um” da nossa chegada. Acima de tudo foi uma reunião familiar :)

Nem parecia que estávamos ali para ouvir um dos mais esperados álbuns dos últimos anos. O "senhor que se segue" de Moonspell desde o Night Eternal (2008).
Sempre em alta onda de boa disposição.

Ouvida boa música, comidos fantásticos hamburgueres e com muita simpatia e arte de bem receber a granel, ali estivemos no sítio onde tudo acontece.
Ali estavam todos os elementos de Moonspell para nos acompanhar numa tarde divertida entre amigos, com direito a uma visita ao “Inferno” –  o estúdio de Moonspell, e também local de inspiração de todos os membros da banda.
Tivemos ainda direito a uma “conferência de imprensa”, mas sem imprensa, a falar de episódios de tours anteriores, alguns deles bem caricatos de quem anda nestas lides há muitos anos, entre outros assuntos, e no ar novamente, “a taste of things to come”...

Já todos sabemos que após o lançamento do Alpha Noir / Omega White, os Moonspell vão entrar em tour quase “au moment” e já todos sabem que Novembro trará uma grande tour pelas grandes Arenas Europeias com a “Into Darkness”.

Talvez eu não fosse a melhor pessoa para escrever estas palavras. Como tive a oportunidade de dizer naquela tarde, quando vai sair um álbum de uma banda de culto para mim, como é o caso de Moonspell, evito ao máximo reunir informação sobre o lançamento do mesmo para ser realmente surpreendida e tirar as minhas conclusões. Tenho ali a LOUD e a Blitz e ainda não as li. Um exemplo apenas.

Sei o que ouvi e o que me fez sentir a audição dos CDs.

Daqui a duas semanas todos os que caminham “under the Moonspell” poderão dizer de sua justiça. O que eu posso dizer é que vim para casa feliz, que estou ainda mais ansiosa para que a Napalm me envie os CDs... J

Como fã de uma banda com a dimensão dos Moonspell, só posso sentir-me realmente grata a todos os membros da banda, ao “desgraçado” do Bruno Fernandes que deve ter recebido uns cem telefonemas dos “Lobos perdidos” naquelas bandas, a toda a alcateia, àquele homem que está com os MS desde o inicio, Eduardo Viana (e que faz uns hamburgueres fenomenais também). De destaque também a visita da Sónia Tavares e do futuro elemento da Alcateia (neste momento a Sónia ainda é “dois em um”) e o conhecimento de mais fabulosos membros que uivam desde 1989 ou 1992 \m/

Ouvir assim um álbum desta dimensão foi um acto de confiança dos Lobos que constituem os Moonspell e ouvir em primeira mão o Alpha Noir / Omega White transformou “mais uma sexta feira 13”, na TAL sexta feira 13 da minha vida.

Obrigada a todo o Wolfpack \m/



RocklineTribe Fest@Room5 - 14 Abril 2012

O ROOM5, no Cais do Sodré em Lisboa, foi o espaço escolhido para a realização do Rockline Tribe Fest no passado sábado, 14 de Abril. Um espaço bastante agradável e com óptimas condições para receber centenas de pessoas.
Pelas 22 horas já a sala já estava bem composta e preparada para dar início a uma noite que se previa de peso e intensidade.

A banda convidada para abrir a noite foi We Are The Damned, formada em finais de 2007 pelo vocalista Ricardo Correia e pelo baterista Paulo Lafaia. Banda que ainda no ano passado esteve em festivais de metal portugueses, tais como o Vagos Open Air e o Metal GDL em Grândola e que têm provado o seu papel no cenário do metal português, ainda no mês passado esteve numa pequena tour pela Europa, aproveitando para divulgar o lançamento da versão vinil do seu último álbum, lançado em Março do ano passado, Holy Beast.
Começaram o concerto cheios de garra e energia, ou não fosse o tema Christian Orgy pedir isso mesmo. Tocaram temas do seu último álbum e conseguiram transmitir o poder e a mensagem que os temas apresentam. Era com palavras de revolta e indignação para com as atitudes do governo actual que Ricardo ia introduzindo os temas. A energia fez-se sentir no público com moshes e gritos de apoio para com a banda. Terminaram com The Glorious Grisly.
SET LIST
Christian orgy
Serpent
Vengeance Havoc
Summon the Black Earth
Reaper
Throne of lies
Devorador dos Mortos
Atrocity Idol
The Glorious Grisly

A segunda banda a pisar o palco foi The Temple, a banda que está quase a fazer os vinte anos de existência e que em virtude de estarem a trabalhar num novo álbum já não tocavam ao vivo desde Agosto do ano passado. Começaram logo a abrir com o tema Ticket Please, mas na terceira música, War Dance, tiveram problemas com o pedal da bateria e foram obrigados a fazer uma pausa. Sentiu-se uma quebra no ambiente mas rapidamente o problema foi resolvido e retomaram o mesmo tema na parte em que há um solo de bateria e em que mais três membros da banda tocam com o baterista Rui. Foi um solo enérgico e uma óptima escolha para retomar o concerto que num instante reaproximou do palco os que se tinham afastado no momento da pausa.
Tocaram temas do álbum Diesel Dog Sound e ainda nos presentearam com dois temas novos, Underground e Violent World, este último tocado logo após a cover de Budapeste (dos Mão Morta), cantado em uníssono com o público. Sentiu-se sempre grande intensidade por parte da banda obtendo o respectivo feed-back por parte da assistência. Foi também de salientar o regresso do vocalista João Luís que se tinha ausentado da banda por um período de quatro anos e agradeceu publicamente o acolhimento por parte dos The Temple. Terminaram um concerto cheio de vigor e rock intenso, com um dos seus temas mais conhecidos, Millionaire.
SET LIST
Ticket Please
Baby Hate
War Dance
DDS
Fightbull
Underground
22 Belzebu
Shoot Me
Budapeste
Violent World
Millionaire

Os MenEater, que surgiram da ligação de quatro projectos diferentes ganharam forma em 2004. Fizeram deste o seu penúltimo concerto antes dumas “férias prolongadas no Algarve” e sem data de regresso prevista, conforme palavras do vocalista, Mike. Abriram com o tema Savn e rapidamente o som das guitarras encheu o espaço criando logo uma forte envolvência. Na segunda música o baixista teve um problema no cabo, e Mike aproveitou esse período para pedir salvas de palmas a todas as outras bandas que actuaram e a que ainda ia actuar. Com o problema do cabo resolvido, o som atraente de MenEater, os solos de guitarra, a bateria e a voz, que apesar de um pouco baixa relativamente ao resto, foram se interligando e interagindo com o público presente. Sentiu-se apesar de tudo que o estilo musical da banda não estava tão bem enquadrado no ambiente da noite como seria de esperar e por esse motivo sentiu-se uma quebra por parte de algumas pessoas no público, mas apesar disso os membros da banda assim como os fãs sentiram o poder que emanava do palco e viveram o momento com intensidade.
SET LIST
Savn
First Season
Heartbeating
Black
intro
Revólver
Ilusion One
Broken Fiction
Ground Beneath
intro
Sustain the Living
Lisboa
The Golden

Após uma pausa (um pouco mais longa para uns pequenos ajustes finais no som), foi chegada a vez da banda mais aguardada da noite, Bizarra Locomotiva. Banda precursora da música industrial no nosso país e que têm ao longo de quase vinte anos angariando tripulantes para os acompanhar na sua locomotiva, mais uma vez subiu ao palco para mexer com os sentidos dos presentes, tanto a nível auditivo como visual. Todos os membros, excluindo o baterista surgiram no palco forrados a plásticos e tinta preta, algo a que já habituaram os fãs.
Foi com o tema Usina, do álbum Ódio, que iniciaram o concerto e imediatamente os presentes na frente do palco se agitaram e pularam juntamente com Sidónio, o vocalista. Sidónio, que tinha a parte de cima do corpo pintada com uma espécie de tinta preta plástica, foi arrancando pedaços da mesma ao longo do concerto, começando pelo pescoço e seguindo para partes do peito, do braço até ficar praticamente sem nada. Tocaram temas desde o seu álbum Bestiário, de 1998, passando por Homem Máquina, Ódio e finalmente o seu último trabalho, Álbum Negro. Foi num tema deste último, Ergástulo, que o vocalista saiu do palco, passou por entre o público e subiu até uma base de coluna lateral de onde cantou uma parte. Durante todo o concerto, Sidónio não parou, sempre cheio de energia e o resultado fez-se sentir, o público reagiu com moshes, crowd surfing e grande movimento na parte frontal do palco. Terminaram com Escaravelho, tema do seu álbum Bestiário e foi com a saída de Sidónio e com a guitarra ainda a ressoar ao ritmo das batidas finais que terminou um concerto brutal, tanto pela energia como pelas sensações transmitidas, ora raiva, angústia ou até mesmo nostalgia. Como a banda diria, até à próxima estação.
 
SET LIST
Usina
Engodo
O Anjo Exilado
Gatos do Asfalto
Desgraçado de Bordo
Ergástulo
Outono
O Frio
Druidas
Fantasma
Cada Homem
Procissão dos Édipos
Apêndices
Egodescentralizado
Cavalo Alado
O Escaravelho



Escrito por : Miriam Mateus
Fotos : Nuno Santos ( mais fotos aqui )
Segue-nos no Facebook em Songs For The Deaf Radio

Estes vídeos transmitem na perfeição a intensidade do concerto da Bizarra Locomotiva :
Gatos do Asfalto


Desgraçado de Bordo

Vídeos cortesia do canal YouTube mofoproject 
FILMADO POR: RENATO CONDE E ÍRIS JORDÃO
http://www.vimeo.com/renatoconde
http://www.youtube.com/user/irisandroid
EDIÇÃO DE VÍDEO E MONTAGEM: MIGUEL FONSECA
www.bizarralocomotiva.com 


02/04/2012

Deftones vão gravar álbum novo !

A banda vai entrar em estúdio para gravar o seu novo álbum já em Julho. 
Os Deftones, que lançaram o seu sexto álbum "Diamond Eyes" em 2010, revelaram no fim de semana que completaram a fase de escrita do seu novo álbum no dia 28 de Março e que a gravação começará em 9 de Julho. Nick Raskulinecz está novamente confirmado para produzir o álbum. Falando ao site chileno Latercera.com, a banda do vocalista Chino Moreno descreveu seu novo álbum como "futurista" e "mais dinâmico". Moreno disse: "Eu sei que toda gente diz isso, mas eu acredito que este é o melhor disco que fizemos. Estou muito entusiasmado, porque soa futurista em relação ao nosso último, como um passo em frente. As músicas são muito diferentes umas das outras, não mais pesado ou mais lento, mas mais dinâmico, indo para várias direcções,.. é pesado, mas bonito". O cantora também falou sobre o baixita Chi Cheng, que permanece no hospital em estado semi-consciente, após um grave acidente de carro em Novembro de 2008. Falando sobre Cheng, Moreno disse: "Cada dia é diferente, e ele continua a lutar. Já faz três anos e ele está fazendo avanços pequenos, diários, mas ele não pode falar ou comunicar. Às vezes, ele pode seguir as instruções pequenas, como levantar uma perna ou uma mão, então desejamos o melhor e mantemos a esperança. Mas nenhum médico pode prever quando ele vai acordar. "

Fonte : NME

Veja também: